Consistir em alternativa governativa não está nas prioridades de JHA

4

Diria que não estarei a dizer nenhuma inconfidência com o título desta minha opinião. Afinal é público e notório a luta titânica que JHA está a travar para se manter no poder no paicv, a todo o custo e meios – fazendo fé nas denúncias internas que vem saindo na imprensa. Ou seja, sabe-se onde está o foco de JHA e consistir em oposição credível com propostas alternativas, claramente não está nas suas prioridades.

Porém, como disse e bem o líder do Partido Socialista em Portugal, António Costa, – que a JHA tanto gosta de citar- “partido, cada um trata do seu”.

Só que a atual “líder” do paicv ainda não percebeu, infelizmente para a nação, que só estaria segura no seu partido se conseguisse convencer o país de que seria alternativa à Governação. E neste quesito, passa completamente ao lado, diria até, a quilómetros.

Prova disto é agora a sua recente deslocação às ilhas do Norte, diga-se de passagem, com toda a legitimidade, mas voltou a perder mais uma boa oportunidade de fazer uma oposição credível e que convença os cabo-verdianos.

Se não vejamos: como é possível que uma líder da oposição com altas responsabilidades no país e num partido do arco do poder, falseie dados e afirme que “apenas 26 jovens beneficiaram de formação profissional”, sabendo que os dados oficiais, que são públicos, dizem, por exemplo, que só de Janeiro a Outubro de 2019, tivemos na formação profissional 302 (trezentos e dois) jovens beneficiados; nos estágios profissionais 341 (trezentos e quarenta e um) jovens estagiários; no startup jovem 53 (cinquenta e três) projetos financiados e mais 40 (quarenta) projetos em fase de aprovação na banca.

Mas pior foi o desdenhar e o apoucar do Fórum Nacional da Juventude que teve o alto patrocínio das Nações Unidas e do PNUD. Isto pressupõe que tais instituições internacionais só são credíveis na governação do paicv. Na do MpD é “gastar dinheiro” segundo as palavras da “líder”.

Mas a falta de respeito mais gritante e de bradar aos céus, foi essencialmente dirigida às mais de duas centenas de jovens, provenientes de todos os cantos do país que durante três dias estiveram presentes e engajados incluindo a presidente da JPAI de São Nicolau. A avaliação que fizeram foi muito positiva.

Faço votos que as eleições internas passem rapidamente, uma vez que a governança de uma nação se faz de situação+oposição e o país também perde na ausência de uma oposição séria com propostas alternativas.

4 COMENTÁRIOS

  1. É o DESNORTE e a SEM VERGONHICE TOTAL!!

    Por outro lado estive a ver a entrevista do Miguel Monteiro ao programa “ponto por ponto” da RTC, e ver a lider da oposição TRAVESTIDA de Adelina, ou esta a conduzir ou a fazer de PAPAGAIO? Ou defender as suas melitancias mesmo que OBSCURAS? Quase a enervar e querer bater no Miguel por este não concordar/colaborar com os DEVANEIOS/MENTIRAS do paicv/RTC? Apesar que justas metem a UCID pelo meio para não parecer tão ÓBVIO? Fundamentam as suas teses nas manifestações na sua ESMAGADORA maioria manifestações políticas MASCARADAS? Quase não querendo deixar o Miguel falar, e até a levar este a pedir 1 minuto sem interromper!! A RTC não sabe fazer uma entrevista rigoroso sem a agenda DIABÓLICA aos membros do MPD ou do governo? Esta mesma tática já assisti na RTP Africa despeja a agenda do paicv na mesa, não deixa os membros do governo/ MPD falar ou situar/rebater as mentiras para as pessoas menos informadas!! ESTOU AINDA COM NOJO!!

  2. Também segui a entrevista da pseudojornalista, Adelina, quer à Janira H Almada, quer ao Miguel Monteiro. Pareceu-me que não houve igual tratamento aos dois entrevistados. Enquanto a Sra Janira podia, pedia e era deixada falar à vontade, terminando o seu raciocínio, e até dando algum raspanete à dita jornalista, o Miguel Monteiro, com muito custo lhe era permitido falar e dar os esclarecimentos. Não pretendo defender ninguém, mas adoro quando o jornalista demonstra que faz com isenção e rigor profissional o seu papel. Digo isto porque acompanho trabalhos ( notícias, entrevistas, reportagens, etc) de jornalistas lá fora e não se encontra muito paralelo aqui, em Cabo Verde. É claro que é de justiça reconhecer qualidade profissional da parte de alguns, tanto na imprensa escrita como na de áudio visual, mas há muitos que deixam muito a desejar. Se não são notícias para fazer sensacionalismo, são, frequentemente, peças noticiosas onde não buscam o contraditório, isto é, noticiam a versão de uma parte, mas não procuram a outra parte e nem informam se a tentaram ouvir, ou se irão trazer, posteriormente, a versão contrária. É muito frequente acontecer o que estou a dizer, e todo ouvinte ou telespectador atento sabe disso e conhece um sem número de casos, e não de hoje. De há muito. Parece que os nossos jornalistas, a maioria, não se dão ao trabalho de investigar, estudar os documentos oficiais, ou outras fontes relacionados com as matérias das notícias, reportagens ou entrevistas, mas que se baseiam no “diz que diz”. E ficam, obviamente, questões importantes de fora, com várias “de chacha” pelo meio. Fica a impressão de muitos estarem, ou a fazer os serviços mínimos, ou a fazer determinados fretes político. Podem dizer que não possuem os meios, nem os salários que, por exemplo, os jornalistas do Correio da Manhã TV – CMTV- têm em Portugal, mas, com os meios de que dispõem, poderiam ter estado a fazer mais e muito melhor.

  3. tudo mundo sabe que este jornal e do partido no poder… JHA esta a denunciar as inverdades que o seu governo escondi atras da cortina… quem decidi e o povo, na altura com o Jose Maria Neves voces dissiam o messmo, mas no fim levaram 3-0. usa uma borracha para recordar e limpar memorias, eu sei que este comentario nao sera publicado porque voces sao farinha dos mesmo SACOS.

Comments are closed.