Frei Fidalgo reforça Fraternidade de Capuchinhos em Boston

0

Missão tem a duração de um ano. Sacerdote diz que vai para apoiar no que for “possível e útil” para as nossas comunidades

O Padre António Fidalgo de Barros, até julho, Superior da Congregação dos Capuchinhos em Cabo Verde, vai reforçar a presença dos Capuchinhos em Boston, nos Estados Unidos da América.

A informação é avançada, esta terça-feira, na Rádio Nova de Maria, pelo próprio Sacerdote que garante viajar “sem nenhuma pretensão” pessoal.

Nos EUA, o Frei Fidalgo vai reencontrar os confrades Claudino e Samuel, numa terra que acolhe expressiva comunidade Cabo-verdiana e que muito pede a presença dos Capuchinhos.

A decisão para esta nova missão do Frei Fidalgo decorre do Capítulo realizado no passado mês de julho, em São Vicente, durante o qual ele cessou funções enquanto Superior da Ordem, tendo sido eleito um novo Custódio que redistribuiu seus confrades nas diversas Fraternidades, nas Ilhas e no estrangeiro: São Tomé e Príncipe e Boston, nos EUA.

Nas suas declarações à Rádio Nova, o Frei Fidalgo observou que vai para trabalhar, apesar de ser num outro ambiente. “Vou sem nenhuma pretensão”, disse, admitindo, no entanto, que “há necessidades pastorais” que ele deve se ocupar assim que chegar a Boston.

Disponível para apoiar “no que for possível e útil” às nossas comunidades, o Sacerdote explicou que a sua ida a Boston, tem por objetivo conseguir uma vida de fraternidade, com seus dois confrades, o que no seu endenter “faz melhor com três” pessoas.

“Há muitas solicitações pastorais, quer para celebrações de Missa, como para enterros”, observou, mostrando-se confiante na missão dos Capuchinhos em Boston. “Não podemos desiludir”, reconhece.

Natural da Ilha do Fogo, o Frei Fidalgo, 73 anos de idade, é Sacerdote há 47 anos, tendo sido ordenado em 22 de setembro de 1974, pelo então Bispo de Cabo Verde, Dom José do Carmo Colaço.

Notícia relacionada:

“Sofri bastante” ao ver irmãos “sair” da Ordem

COMENTE ESTA NOTÍCIA

Por favor digite seu comentário!


COMENTÁRIOS: O País defende a liberdade de expressão e o debate livre de ideias. Entretanto, todos os comentários são mediados pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Advertimos, no entanto, de que os comentários devem cumprir os critérios estabelecidos pela Coordenação Editorial, nomeadamente, não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem, não ofender o bom-nome de pessoas e instituições, não conter acusações sobre a vida privada de terceiros, e não conter linguagem inadequada. Comentários que não respeitarem estes pressupostos não serão considerados.


Por favor, digite seu nome aqui