GUINÉ-BISSAU / CPLP: Presidente do PAIGC não aconselha visita de JCF

0

Domingos Simões Pereira não se inibiu de pedir ao Presidente em exercício da CPLP a não visitar o seu País e admitiu que a possível visita dará lugares a interpretações

O Presidente do PAIGC, em pré-campanha em Cabo Verde, reuniu-se na última segunda-feira, 11, com o Chefe de Estado de Cabo Verde e Presidente em exercício da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, a quem solicitou, abertamente, que não visitasse a Guiné-Bissau, antes das eleições. É que Domingos Simões Pereira admite haver um “risco” de Jorge Carlos Fonseca ser “envolvido” na campanha em curso no seu País para eleições previstas para 10 de março mas que podem não acontecer.

Sem precisar os seus receios com a possibilidade da visita do Presidente da CPLP, o candidato do PAIGC a Primeiro-Ministro apontou que o risco “pode dar origem a reações” que a seu ver podem “não ajudar” o processo em curso.

DSP não se inibiu de criticar o PR bissau-guineense, a quem acusa de envolvimento nas campanhas legislativas. Disse mesmo que José Mário Vaz tem dificuldades “quase estrutural” em manter-se equidistante em relação ao jogo político partidário interno e acusou o JOMAV de estar a “multiplicar-se em ações do terreno, acompanhado de ministros de um Partido político, para lhe dar palco”.

JCF não confirmou se mantém a possibilidade de visitar a Guiné-Bissau ante das eleições, possibilidade aventada por ele próprio mas num cenário de ajudar o processo em curso. “Só tem sentido (a visita) se não houver objeções por parte dos principais protagonistas políticos e eleitorais da Guiné-Bissau”, avançou Jorge Carlos Fonseca.

Sobre o encontro de ontem, o PR explicou que serviu para “ouvir” a “visão e perspetivas” de DSP sobre o processo eleitoral em curso, a situação política do País “e trocar impressões” sobre o papel da CPLP nesse processo e no futuro próximo e as relações entre Cabo verde e a Guiné-Bissau.

- PUBLICIDADES -