Impasse nas eleições Presidenciais em STP

1

Tribunal Constitucional ordenou a recontagem dos votos, nas eleições de 18 de julho

Regista-se um impasse nas eleições Presidenciais em São Tomé e Príncipe, e o Tribunal Constitucional ordenou a “recontagem integral” dos votos, dando, assim, provimento a um recurso interposto pelo candidato Delfim Neves.

Segundo noticia a Agência Lusa, que cita um documento do TC de STP, a “necessidade de legitimação dos poderes pleiteia a favor desta possibilidade excecional de recontagem integral dos votos que agora se admite”, pelo que o TC ordenou a todas as Comissões Eleitorais Distritais que “procedam à recontagem integral dos votos” para a eleição do PR.

O candidato Delfim Neves, indicado como o terceiro mais votado, por isso fora da corrida à segunda volta, insatisfeito com o processo, interpôs recurso e vê o TC dar-lhe razão na sua queixa. Ele alega o desaparecimento de cerca de 4.500 votos.

Nota-se, no entanto, que o assunto não foi pacífico ao nível do TC, com 2 dos 5 Juízes daquela instância a rejeitar dar provimento ao pedido de Delfim Neves, pelo que o Presidente do TC teve voto de qualidade para promover o desempate.

A Agência Lusa refere, no entanto, que o Presidente do TC foi advogado de Delfim Neves que contesta o resultado das eleições e que um dos Conselheiros é cunhado do candidato. Dois Conselheiros não assinaram o acórdão e um outro Conselheiro ficou “incontactável”.

Do resultado da primeira volta, ficou definido que Carlos Vila Nova, da ADI, na Oposição, venceu o primeiro turno, com 39,47%, tendo conseguido 32.022 votos, muito superior que o candidato do MLSTP, Guilherme Posser da Costa, que ficou pelos 20,75% e um total de 16.829 votos.

Notícia relacionada:

Segunda volta das presidenciais em STP a 8 de agosto

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.