Jovane Cabral disponível para representar Tubarões Azuis

1
Foto retirada do Instagram de Jovane Cabral

Informação foi avançada pelo Selecionador Nacional. Bubista já garantiu que o extremo do Sporting de Portugal poderá vir a ser opção nos próximos jogos de Cabo Verde. Técnico Nacional esclareceu ainda que Jovane nunca recusou representar a Seleção, e que sempre apresentou motivos pessoais

O jogador do Sporting Clube de Portugal, novo Campeão Português de futebol, Jovane Cabral, já manifestou o seu interesse e disponibilidade para representar a Bandeira nacional, Bandeira que o extremo levou às costas durante os festejos de Campeão da Liga Portuguesa de Futebol, na última terça-feira.

A informação foi avançada pelo Selecionador Nacional, Busbista, em entrevista à rádio pública, ao parspetivar os dois jogos amigáveis que a nossa equipa tem pela frente, contra a Guiné-Bissau e Senegal, ambos em Dacar, no mês de junho.

Segundo Bubista, a intenção de Jovane foi manifestada ainda durante a fase de grupos de qualificação para o CAN. “Antes de termos jogado com os Camarões, Jovane disse-nos que já estava disponível para representar a Seleção (…) nos próximos jogos ele estará pronto para representar a Seleção como qualquer outro jogador Cabo-verdiano”, disse o mister da turma Nacional.

Jovane nunca recusou a Seleção

Ao contrário do que muitos afirmavam, Jovane Cabral “nunca recusou” representar a Seleção Nacional de futebol, defendeu o Selecionador Nacional, explicando que o jovem de Santa Catarina de Santiago “nunca disse, pelo menos à nossa equipa técnica, que nunca viria. Disse-nos que tinha situações individuais que tinha de resolver e, da nossa parte, sempre respeitamos essa parte”, sublinhou, precisando que mesmo que ele tivesse recusado a Seleção, a posição do jogador teria de ser respeitada.

“Acho os comentários de algumas pessoas extremamente exagerados. Mesmo que ele não quisesse jogar pela Seleção, ele tem todo o direito de escolha, o que há de mal nisso? Nada!”, pontuou, afirmando ter gostado do gesto de Jovane ao levantar a Bandeira de Cabo Verde em pleno Alvalade. “Ele é Cabo-verdiano como qualquer um de nós. Fiquei feliz com o gesto dele, porque se sente Cabo-verdiano”, defendeu.

1 COMENTÁRIO

  1. Bubista afirma que é um direito de todos aceitar ou rejeitar a seleção porque ele sabe que sempre é possível ter, pelo menos, um lote de 23 jogadores razoáveis, mas se todos aqueles que têm alguma qualidade renegassem a seleção a música seria outra!

Comments are closed.