L’Etat c’est moi

1

Tudo dito no discurso!

Outra vez o Estado no centro de tudo e de todos! A dignidade da pessoa humana, que deveria ser o primado de tudo, ficou secundarizada!

A África no discurso passará a ser a nossa âncora! No desejo! Como se fosse o Presidente da República a mandar na definição da política externa!?

Mas na vida as nossas âncoras sempre serão o mundo democrático.

Falou-se da África e da Europa, mas nem uma menção sequer aos EUA, país que relaciona com Cabo Verde desde o século XVIII e que acolhe a maior comunidade caboverdeana no mundo. Do SOFA? “Não quero ouvir falar!”.

Estarei presente sempre na política externa e política interna! L’eta c’est moi!

Tanto na interna como na externa L’eta c’est moi.

Também não passou despercebido os discursos combinados.

Afectos pessoais e familiares de um lado e afectos pessoais e familiares do outro lado!

O Governo foi subalternizado praticamente durante toda a Sessão! Mas, que mal isso faz se o primeiro-ministro responde pelo nome de ULISSES CORREIA e SILVA! O qual tem o poder real e constitucional para definir, conceber e executar as políticas internas e externas e é o órgão superior da Administração Pública de Cabo Verde.

Nos discursos, minha gente, tudo é possível! Sabemos que na vida o mundo gira de outra forma.

E é essa forma que conta.

Deus ilumine e proteja Cabo Verde hoje e sempre!

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.