“PAICV não gosta dos Munícipes do Bairro Craveiro Lopes”

1

Coordenador da Comissão Política Concelhia da Praia do MpD, Alberto (Beta) Mello, considera falasiosas as delcarções do PAICV sobre o assunto, adiantando que é do timbre desse Partido ter “preconceitos e atitudes discriminatórias”, com os habitantes do Bairro Craveiro Lopes

          

Alberto Mello afirmou hoje que o PAICV “não gosta” dos Munícipes do Bairro Craveiro Lopes, apresentando ainda “toda a verdade” sobre a polémica que envolve a inauguração das obras de requalificação do centro histórico daquele bairro.

De acordo com o Coordenador do MpD, as recentes declarações do PAICV sobre a materia em pauta são falaciosas. O PAICV alegou “várias versões” para justificar a não comparência do Presidente Francisco Carvalho, no ato de inauguração no bairro em apreço. Primeiro, um Vereador do Partido disse que o Presidente da Câmara não tinha sido convidado, e depois a Comissão Política da Região Sul de Santiago do PAICV veio dizer que o Governo “não esteve interessado” na participação do Autarca no evento, porque houve “falhas” nas comunicações.

Alberto Mello, por sua vez, disse hoje que ao contrário das várias versões postas a circular por militantes “tambarinas” nas redes sociais, o nome do atual Presidente da Câmara Municipal da Praia, está inscrito na placa inaugural, e que Francisco Carvalho “foi, sim”, formalmente convidado para estar presente no ato público de inauguração.

“Por diversas vezes, a Ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, estabeleceu contato telefónico com Francisco Carvalho. No entanto, manifestando, no mínimo, uma incompreensível deselegância, o Presidente da Câmara Municipal da Praia nunca atendeu o telefone, tão pouco se dignou responder às insistentes chamadas da governante. É verdade que a Ministra Eunice Silva pretendia concertar com o Presidente da Câmara os termos da sua participação no ato público, nomeadamente, garantindo que seria o penúltimo orador, antecedendo a intervenção do Primeiro Ministro”, clarificou, sublinhando entretanto que o descerramento da placa inaugural seria protagonizado, “como é evidente”, pelo Primeiro-Ministro e pelo Presidente da Câmara Municipal, “já que se assim não fosse, o seu nome não constaria da própria placa”.

O MpD afirmou também que toda a tentativa do PAICV em descredibilizar o Partido no poder, “foi um tiro que saiu pela culatra”. “É para nós evidente que o PAICV pretendeu criar um tosco fato político que, como é bom de se ver, foi um tiro que lhe saiu pela culatra. A verdade é que, como provam os fatos, Francisco Carvalho, que, covardemente, nunca deu a cara, foi convidado atempadamente e iria, evidentemente, proferir uma intervenção no ato público. O resto são mistificações e construções delirantes de quem pretende utilizar um órgão do Poder Local como trincheira do combate político ao Governo, servindo-se para tal de recursos públicos”, alegou.

“Esta estratégia do PAICV, contudo, teve efeitos contrários aos pretendidos, porquanto, as várias narrativas, desmontadas uma a uma por fatos, comprovam que este Partido não pretende “Uma Praia para todos”, e viu-se desmascarado publicamente, já que apenas pretende utilizar o Poder Local como meio instrumental para alcançar um objetivo mais amplo: conquistar o Poder Central a qualquer preço, mesmo que para tal se tenha de socorrer das mais flagrantes mentiras”, acrescenta, Alberto Mello.

Beta, como também é conhecido nas lides políticas, avançou ainda que durante 30 anos do mandato do PAICV em Cabo Verde e 8 anos à frente da Câmara da Praia, o Partido “tambarina” “nunca colocou um paralelo que fosse no Bairro Craveiro Lopes”, sustentando também que o PAICV sempre desvalorizou o PRRA. Programa do Governo que a Presidente do maior Partido da Oposição chamou de “obrinhas”.

1 COMENTÁRIO

  1. Muito naturalmente, esta conferência de imprensa do MpD, não é notícia, nem nota de rodapé no Expresso das Ilhas, ao contrário da do Paicv, sobre o mesmo assunto. Aí tem coisa!

Comments are closed.