Arnaldo Silva diz-se vítima de um assalto

2

Advogado falou esta manhã com OPAÍS.cv e negou qualquer relação entre o que considera assalto a que foi vítima ontem, e os casos de terrenos na Cidade da Praia

          

O antigo Bastonário dos Advogados, Arnaldo Silva, disse esta manhã ao OPAÍS.cv que ele foi, ontem, vítima de um “assalto”, perpetrado por um “bandido cadastrado”.

“Trata-se de um assalto praticado por um indivíduo cadastrado, bandido, perigoso” e que se autodenomina de “satanás”, usando, inclusivé, “pulseiras e outros símbolos de satanás”, disse o Advogado.

O caso deu-se ontem, por volta das 13h30, quando o Advogado chegava à casa, proveniente do escritório. Conforme nos contou, assim que desceu do carro, dirigiu-se para abrir a porta e um indivíduo pôs-se à sua frente, mas “tranquilamente, ainda pensei que era o guarda da casa”.

Ao se perceber que era um estranho, Arnaldo Silva indagou o que se passava e foi surpreendido, “violentamente”, com pedradas “pelo bandido”.

Face ao que considera um assalto, no pátio interno da sua residência, o Advogado partiu para o inimigo, com quem engalfinhou-se, acabando separados por um seu cunhado e por um filho que estavam em casa e que foram alertados pelos estrondos de pedradas na janela da casa.

“É um ato de crime com objetivo de matar”, admite Arnaldo Silva. “Não morri por um triz”, acrescentou.

O assaltante levava também com ele uma navalha.

O nosso interlocutor afasta qualquer correlação entre o que considera “assalto” com as “especulações” em torno de polémicas de terrenos na Cidade da Praia. “Não tem absolutamente nada a ver”, assegurou, lamentando a forma como “certos jornais” trataram o caso, sem nunca o ouvir. “Ninguém falou comigo”, confirmou.

Entretanto, o advogado remete para “fórum próprio” onde os “malfeitores e caluniadores” irão responder pelo que escreveram.